6 perfis de chefe que desmotivam os funcionários

Afinal, você é a voz que os funcionários mais escutam na empresa. Cabe a você motivar e engajar sua equipe a fim de alcançar suas metas. Por isso, será bem mais difícil atingir seus objetivos se você afastar seus funcionários. Veja se você se encaixa nos perfis de chefe a seguir e saiba como mudar de atitude:

1. O chefe sempre ocupado 

Todos nós somos pessoas ocupadas, mas é muito frustrante para sua equipe quando ela precisa de sua aprovação, suporte ou assistência para seguir com uma tarefa e você nunca está disponível. Mesmo sendo muito ocupado, encontre tempo para estar presente e disponível para sua equipe. Se isso não for possível, deixe um funcionário sênior como responsável para tomadas de decisão e aproveite esta oportunidade para desenvolver sua capacidade de gestão.

2. O chefe "reservado" 

Alguns gestores pensam que eles têm mais poder quando não compartilham com seus funcionários todas as informações disponíveis, porém isso só gera confusão e frustração. Quanto maior for seu engajamento e quanto mais informações você compartilhar, maiores são as chances de sua equipe entender o que está sendo pedido e, então, as tarefas serão realizadas com mais eficiência.

Ofereça informações claras e detalhadas sobre o que você quer, qual a estratégia da equipe e quais são as metas esperadas.

3. O "microgerente"

Ninguém gosta de ser supervisionado minuciosamente e os funcionários envolvidos geralmente concluem que seu gerente não confia neles, o que afeta o engajamento e a moral da equipe. Quando um empregado tem um baixo nível de confiança e competência, você deve ser mais direcional em seu gerenciamento. Mas à medida que a capacidade desse indivíduo cresce, o seu estilo de gerenciamento também deve mudar.

Seja, então, o chefe que fornece aos seus funcionários as ferramentas para se ter sucesso e que se adapta à medida que as habilidades do funcionário são desenvolvidas.

4. O chefe que aceita baixo desempenho 

Todos nós já passamos por uma situação em que um funcionário não está dando seu melhor. E pode ser incômodo para os colegas dessa pessoa se o gerente não consegue lidar com este mau desempenho. Gerenciar disputas, resolver conflitos e dar feedbacks difíceis não são habilidades fáceis de dominar, mas é essencial que um líder possa enfrentar estes desafios de equipe. Caso contrário, você enfrenta uma perda de credibilidade e respeito, minimizando sua influência sob a equipe.

5. O "monopolizador de crédito" 

O reconhecimento dos funcionários desempenha um papel essencial na produtividade e no engajamento da equipe. No entanto, há gerentes que dão a si mesmos mais crédito do que eles merecem. Se você é gerente, aprenda a compartilhar o crédito com sua equipe, para que os funcionários envolvidos também recebam reconhecimento por seu bom trabalho. Para isso você pode implantar um programa que reconheça e valorize o sucesso de outros e que meça o impacto de suas realizações na empresa. Isso pode trazer resultados futuros significativos!

6. O "apontador de erros" 

Todos nós cometemos erros e às vezes eles precisam ser levantados para a equipe. Mas mesmo um líder e gestor precisa reconhecer a importância de recompensar o bom desempenho ao invés de apontar qualquer erro inconsequente feito ao longo do caminho. Não transforme oportunidades de mostrar o valor de um empregado em uma chance de apontar erros minuciosos.

Lembre-se, os gerentes são decisivos para a experiência dos funcionários em uma determinada empresa. Não se torne um desses chefes comentados acima e não seja o motivo pelo qual seus funcionários talentosos pedem resignação. 

Jason Walker

Board Director and Managing Director, Hays New Zealand