Hays Global Skills Index.Global Landscape: A Complex Puzzle.

gsi

O Hays Global Skills Index 2016, um estudo publicado em parceria com a Oxford Economics, fornece uma análise do mercado de trabalho em 33 economias globais. 

O relatório destaca que 2016 foi um ano de mudanças importantes em todo o mundo e enquanto a economia global continua em lenta recuperação, a necessidade de lidar com a escassez de competências é mais crítica do que nunca. 

Com base nas tendências que temos visto nos últimos cinco anos do HGSI, e a visão dos nossos experts ao redor do mundo, propomos três principais recomendações para o governos, decisores políticos e empregadores: 

1. Dirija-se a professionais qualificados para suprir o déficit de competências. 

2. Implemente programas de treinamento mais eficazes, visando preparar o negócio para o futuro. 

3. Enfrente a baixa produtividade através de uma tecnologia mais adequada e envolvimento dos funcionários.

 

Brasil

score

“É urgente que o Brasil corrija a inadequação entre os talentos e o mercado de trabalho. Se isso não for resolvido agora, a recuperação do país será mais lenta”, aponta Jonathan Sampson, diretor geral da Hays, com base em um estudo recém-lançado pela consultoria, o Hays Global Skills Index 2016.

A pesquisa, que está em sua 5ª edição, mede os gaps das habilidades requeridas no mercado de trabalho a partir de sete indicadores como causas, em uma escala de 0 a 10 - na qual, quanto maior a nota, mais dificuldades o País tem em desenvolver seu mercado de trabalho. Entre os índices brasileiros de maior expressão, com 5,9, está a flexibilidade da educação, que indica uma falta de alinhamento entre o sistema educacional brasileiro e os perfis profissionais procurados pelas empresas. 

De acordo com Sampson, "empresas, governo e instituições educacionais precisam trabalhar juntos para determinar rapidamente as necessidades de médio e longo prazo para ajustar as mudanças do Brasil. Isto é, ajustar as habilidades técnicas necessárias, claro, mas também as oportunidades sociais e educacionais em geral. Neste momento, temos mais de 12 milhões de pessoas em idade economicamente ativa à procura de trabalho, no entanto, empregadores ainda estão lutando para preencher as vagas-chave. Temos de resolver essa questão. "

Entre as áreas que têm mais dificuldade para encontrar mão de obra qualificada estão compliance, finanças e compras. Em outros mercados emergentes, como China e Singapura, por exemplo, os índices de flexibilidade da educação são mais próximos de 0, com 1,2 e 0,7, respectivamente.

Contabilizando todos os itens avaliados, o Brasil ficou com 5,4, o que representa um acréscimo de 0,4 em sua nota em relação ao ano anterior, ou seja, uma piora de 0,4.

Confira o estudo na íntegra: http://www.hays-index.com/

Notas sobre a metodologia:

O Hays Global Skills Index fornece uma pontuação para cada país de entre 0 e 10, que mede as pressões presentes em seu mercado de trabalho. A pontuação é calculada através de uma análise de sete indicadores igualmente ponderados, cobrindo diferentes dinâmicas do mercado de trabalho, tais como os níveis de educação, a flexibilidade do mercado de trabalho e as pressões salariais.

Uma pontuação geral de acima de 5,0 indica que o mercado de trabalho está mais “pressionado” do que o normal. Uma pontuação abaixo de 5.0 indica que o mercado está "mais flexível" do que o normal. Dentro destas pontuações gerais, no entanto, a pontuação atribuída a cada um dos sete indicadores pode variar significativamente, com destaque para as diferentes dinâmicas e pressões enfrentadas por cada país.

Contate-nos

Hays Brasil Blog