Skip to content
HAYS Recruiting experts worldwide
  1. Eu sou
    Eu sou

10 dicas para se tornar

um comunicador melhor

Updated: 24 Nov 2015

Eu comecei minha carreira de profissional de comunicação como tradutor. Isso foi em 1998 e desde então, obviamente, o mundo mudou de forma radical no que tange à tecnologia. Hoje temos smartphones tão capazes quanto Desktop PCs e “dependemos” deles para muitas coisas; desde comunicação instantânea a melhores rotas de trânsito. Embora o mundo tenha mudado, uma boa comunicação continua sendo essencial para o sucesso e eu não gostaria de limitar apenas ao sucesso profissional, mas também a toda interação humana em sociedade.

 

Tendo começado como tradutor, nunca acreditei em traduções literais e sempre entendi que um tradutor “reescreve” o texto original, as vezes com outras palavras, porém mantendo o significado do mesmo. Considerando nesse processo todas as diferenças culturais e idiomáticas e consequentemente criando comunicação de verdade. Ou seja, como um professor meu gosta de frisar: comunicar é ‘tornar comum’, fazer-se entender.

Um exemplo clássico de tradução, que me deparei nessa época (na década de 90), é a tradução do título do filme Jaws (1975) de Steven Spielberg, que foi traduzido, ou seja, ‘reescrito’ no Brasil como Tubarão. Imagine se o título fosse traduzido para o português como “Mandíbulas” em uma tradução literal, não acredito que o filme passaria a mesma mensagem para o público brasileiro assim como esse título passou ao público americano, no idioma original. E provavelmente não alcançaria o seu objetivo de comunicação.

 

Desde a longínqua época em que atuei como tradutor, continuei a desenvolver minha carreira como comunicador e passei a última década em empresas multinacionais atuando em design, marketing e comunicação interna e externa, inclusive frequentemente interagindo com outros idiomas. Esse período evidenciou para mim o quão importante para a carreira é uma comunicação efetiva. E por comunicação efetiva eu não me refiro apenas às atividades de marketing e sim à comunicação que exercemos no dia a dia, a todo momento.

 

Portanto, não é à toa que reforço em meus textos postados aqui o tema da comunicação no ambiente de trabalho. Inspirado na base de conteúdo global da Hays, aponto a seguir mais 10 dicas interessantes e essenciais para você tirar o melhor da comunicação em seu ambiente de trabalho.

 

Alcance seu potencial de comunicação

 

Ser capaz de se comunicar de forma efetiva é uma questão fundamental para o sucesso de sua carreira. Se você tem dificuldades em lidar com ideias diferentes ou conflitantes, com negociação ou para motivar outras pessoas, você terá dificuldades em alcançar os níveis profissionais mais elevados da sua área de atuação.

Existem muitas facetas diferentes da comunicação, que aqui identificarei de 3 formas simples: comunicação verbal, comunicação não verbal (ou linguagem corporal) e comunicação terceirizada (por tecnologia). Vamos agora as dicas para que domine todas elas:

 

1. Escute

 

Pode parecer uma dica óbvia, mas é sempre bom relembrar a importância de realmente ouvir durante a comunicação. Há poucas coisas mais frustrantes do que conversar com alguém que se recusa a ouvir um ponto de vista diferente.

A comunicação só existe quando há troca entre os interlocutores e trocas precisam ser colaborativas, garantindo que cada pessoa compartilhe de forma igualitária, assim você tem mais chances de resolver o problema além de ganhar o respeito da outra pessoa. Somente ao escutar outros que você aprenderá algo novo. Apenas falar é um meio de articular informações que você já sabia.

 

 

2. Atenção à linguagem corporal

 

Pode parecer inacreditável, mas para muitas pessoas, inclusive embasadas por pesquisas, a comunicação não verbal é muito mais importante do que a comunicação verbal. Um conhecido estudo da década de 70 (por Albert Mehrabian) já apontava que 55% de toda a comunicação é linguagem corporal (outros 38% são tom de voz e os restantes 7% são verbais) – números impactantes.

Quaisquer que sejam as porcentagens, a linguagem corporal tem um enorme impacto sobre como outra pessoa percebe você. Não deixe que isso contradiga o que está saindo de sua boca - quando acolher um novo membro da equipe no time certifique-se de não adotar uma postura defensiva, como cruzar os braços ou pernas, criando uma “barreira” com seus gestos. Portanto, tente policiar seus gestos em momentos críticos e melhorar sua própria linguagem corporal.

 

 

3. Perceba as diferenças culturais

 

Neste mundo cada vez mais globalizado, onde muitos de nós estão em contato frequente com profissionais de todas as partes do mundo, é importante manter-se consciente do que é considerado como impróprio de etiqueta em outras culturas. O guia britânico “Doing Business in Brazil” patrocinado pela Hays, que tem como objetivo informar e preparar executivos sobre as peculiaridades de se abrir um negócio ou trabalhar aqui no Brasil, aponta as diferenças culturais. E um ponto interessante que chama a atenção é o aviso de que fazer o gesto de OK com a mão no Brasil é um gesto de ofensa. E este é só um exemplo. Imagine se estiver no Japão e cumprimentar uma mulher com um beijo no rosto, certamente eles ficarão chocados com sua atitude impensada para a população local. É sua responsabilidade investigar a cultura com a qual têm contato e sempre conduzir de forma adequada a comunicação para que não ofenda os costumes sociais e culturais locais.

 

 

4. Mantenha a calma

 

É muito importante não tentar resolver qualquer situação grave enquanto estiver passando por uma situação de stress ou frustração. Nesses momentos você está mais propenso(a) a interpretar mal uma pessoa ou situação e pode dizer algo que você se arrependa depois.

Isso também vale no caso dos e-mails. Se escrever um e-mail de forma mais grosseira, pare. Salve-o como rascunho e volte a analisá-lo num momento em que eu esteja mais calmo(a). Você verá que na maioria das vezes irá apagar o e-mail sem enviar, provando que enviar o mesmo seria um erro.

Agora se você não tiver alternativa e precisar ter uma conversa durante um momento difícil, tente remover a emoção da situação, se concentrar no que está sendo dito, em vez de como você se sente. Ponha de lado seu julgamento pessoal sobre a pessoa em questão. Você pode até não gostar dela naquele momento, mas precisa manter seu profissionalismo.

 

 

5. Pessoalmente: a melhor forma de comunicação

 

Como aponta nosso CEO, Alistair Cox, em seu blog(em inglês), pessoalmente ainda é a melhor forma de comunicação.

Não é necessário enviar um e-mail para a pessoa que está ao seu lado com a resposta de outra pessoa, converse com eles. Isso ajuda a formar laços, além de evitar que você seja mal interpretado. E-mails muitas vezes podem ser mal interpretados, pois são mensagens “frias”, onde não sabemos realmente o peso emocional exato das palavras podendo gerara diversas má interpretações. E a conversa direta ainda tem como vantagem o seu tom de voz e sua linguagem corporal para que a comunicação esteja em outro nível de efetividade.

 

AC.jpg

 

6. Forneça e receba ‘feedback’ sem medo

 

Se você é um líder de equipe, fornecer feedback é uma parte crucial de sua posição, no entanto, mesmo se você não for, esse pode ser um recurso muito útil. Fazer com que alguém saiba que fez um bom trabalho, por exemplo, invariavelmente vai ajudar a contribuir para um melhor ânimo em seu local de trabalho.
Um ambiente de trabalho aberto e transparente o melhor para se trabalhar. Por outro lado, se você receber algum feedback “negativo” ou crítica, seja receptivo, aceite-a e trabalhe em uma solução. Não seja rude, a outra pessoa provavelmente só está tentando ajuda-lo.

 

 

7. A hora certa de comunicar

 

Você não irá se comunicar da melhor maneira se estiver desfocado ou distraído. Para se comunicar com clareza você deve estar completamente focado e presente no momento. Portanto, cuidado com o “multitarefa” e o celular. Se você quiser pedir um aumento para o seu chefe, por exemplo, você não deve aborda-lo enquanto estiver enchendo sua garrafa de água na copa do escritório. Na verdade, se você quiser um aumento salarial, você deve escolher o momento certo para ir direto ao ponto. Saiba quando é o momento certo para abordá-lo.

 

 

8. Conheça seu “público”

 

Conhecer a pessoa ou equipe que está se comunicando é essencial. Certas pessoas podem preferir uma representação mais visual, enquanto outras uma mais verbal. Por exemplo: se você estiver informando seu time sobre o desempenho financeiro da empresa no último trimestre, faça o possível para apresenta-la de forma visual e interativa - existe um limite de informações que conseguimos absorver antes de perdermos o foco.

O fato é que você não pode tratar todos da sua equipe da mesma maneira, cada um exigirá uma abordagem diferente, para ser motivado.

Você precisa estar “antenado” para saber como cada pessoa da equipe vai lidar com diferentes temas e situações. Você pode muitas vezes ter a necessidade de apresentar informações complementares sobre um tópico para as pessoas que estão fora da conversa ou adaptar a comunicação de forma diferente para que cada um a absorva da melhor forma.

 

 

9. Transmita confiança

 

Não exagere para não parecer arrogante, mas tente parecer convincente em tudo o que você diz. A confiança vem do conhecimento. Se você entende do que está dizendo, a segurança virá naturalmente. E por outro lado, a falta de confiança e em especial pessoas que “resmungam” podem ser bastante desanimadoras para quem está do outro lado, especialmente quando participam de entrevistas.

O fato é que a confiança pode sim ser conquistada, assim como já falamos em nosso outro post, confira sete dicas de como se comunicar com confiança. Ser mais confiante não é tão difícil quanto você imagina, superar a baixa autoestima geralmente é apenas um caso de você agir com coragem - sua mente irá consequentemente responder em sincronia com uma linguagem corporal positiva.

 

confianca.png

 

10. Use o bom humor

 

O humor é uma ferramenta poderosa para neutralizar situações de tensão e quebrar o gelo. No entanto, você deve saber seus limites. Piadas despreocupadas durante uma apresentação do grupo pode ajudar a envolver o público, porém, trocadilhos incansáveis durante uma reunião com o cliente pode ser desgastante e inadequado.

 Comece a fazer ajustes incrementais e melhorias nas suas conversas e comunicação diária. Tenho certeza que em breve você colherá os frutos.

 

 

 

“SER CAPAZ DE SE COMUNICAR DE FORMA EFETIVA É A CHAVE PARA O SUCESSO DE SUA CARREIRA EM LONGO PRAZO.”