Caminho de Navegação

HaysBr_Blog_Dicas_de_Carreira

Blog Dicas de Carreira
Confira as dicas e conselhos de carreira escritos por nossos especialistas.

Blogs

Trabalho remoto e tecnologia: o impacto na contratação, integração e retenção de funcionários

O trabalho flexível em tecnologia veio para ficar, principalmente à medida que cada vez mais organizações e, principalmente, profissionais da área optam por permanecer “para sempre remotos”.

Mas, que impactos - agora e no futuro - essa mudança terá na contratação, integração e retenção de profissionais de tecnologia?

Este é o primeiro artigo de três da série “Trabalho remoto e tecnologia”, que irá abordar o impacto do trabalho flexível na indústria de tecnologia.

Assim, para responder a pergunta acima, compartilhamos seis considerações importantes que você deve ter em mente caso sua organização esteja pensando em migrar para o sistema de trabalho remoto ou híbrido.

Mudando para uma força de trabalho de tecnologia remota? Seis fatores de contratação e retenção para os empregadores pensarem primeiro

1. Os prós e contras de contratar talentos em tecnologia sem fronteiras

O trabalho remoto dá aos funcionários de tecnologia mais liberdade para trabalhar onde quiserem. Além disso, esse sistema de trabalho também possibilita que sua empresa contrate profissionais de onde você quiser.

À medida que nossas fronteiras internacionais desaparecem, a ‘tele-migração’ tende a aumentar, possibilitando que seu negócio contrate técnicos para trabalhar remotamente do exterior.

Relatórios recentes afirmam que os especialistas em tecnologia já estão prevendo que “a tele-migração se tornará uma grande força econômica em um futuro próximo, conforme os empregadores nos países ocidentais ricos e desenvolvidos começam a exportar tarefas para trabalhadores mais baratos no mundo em desenvolvimento, explorando tecnologias como Slack e Zoom”.

Existem prós e contras nessa abordagem. Por um lado, a contratação remota aumenta o pool de talentos tecnológicos disponíveis para os empregadores, ao mesmo tempo que reduz o custo da mão de obra.

Mas, por outro lado, você também precisa levar em consideração desafios como trabalhar em diferentes fusos horários e cumprir os regulamentos específicos de cada país. Esses fatores podem limitar o número de empregos em tecnologia verdadeiramente sem fronteiras.

Por exemplo, segurança cibernética, regulamentação de dados, infraestrutura tecnológica, seguros e questões tributárias devem ser endereçadas.

2. A perda de famosos hubs de tecnologia em todo o mundo

À medida que os profissionais de tecnologia percebem que agora têm a liberdade de viver e trabalhar onde quiserem, isso impacta sobre como (e onde) desejam trabalhar. E, como resultado, estamos começando a ver um êxodo de hubs de tecnologia famosos, como o Vale do Silício.

Na verdade, muitos dos grandes players de tecnologia estão começando a adotar um modelo “hub-and-spoke”, estabelecendo escritórios menores espalhados por todo o país.

Como relata o Business Insider, “Amazon, Apple e Uber já começaram a adotar algo semelhante. A Amazon anunciou recentemente um investimento de $1,4 bilhão na expansão de seus escritórios em seis cidades dos EUA fora de Seattle, enquanto o Uber e a Apple fizeram grandes grandes expansões no Texas”. Hubs menores e escritórios satélite - em vez de uma grande sede - trabalhariam para suas equipes de tecnologia? Que impacto você acha que eles teriam em sua atração de talentos?

3. A crescente popularidade dos salários de tecnologia com base na localização

A ascensão do trabalho remoto levou a alguns desenvolvimentos interessantes nos salários de tecnologia, e essas tendências não mostram indícios que irão parar.

Por exemplo, em setembro de 2020, a Bloomberg relatou que a empresa Fintech Stripe ofereceria um bônus de $20.000 aos funcionários que optarem por se mudar de São Francisco, Nova York ou Seattle. Mas, essa mudança também implicaria na redução de seus salários-base em 10%.

O Facebook também está considerando uma abordagem de pagamento com base na localização, na qual a remuneração de um membro da equipe é baseada no custo de onde ele mora.

Os salários de tecnologia com base na localização são algo que você precisa considerar?

4. Entrevistar funcionários em potencial sem nunca encontrá-los cara a cara

De acordo com Mark Kinsella, vice-presidente de engenharia da Opendoor (um site de imóveis online), as entrevistas remotas (do primeiro ao estágio final) na indústria de tecnologia tornaram-se o “novo normal''. Mas, uma coisa que Mark explica que é um desafio durante esses processos online, é que “habilidades pessoais, como atributos importantes agregados à cultura, são muito mais difíceis de avaliar remotamente do que pessoalmente”.

Portanto, é essencial que, antes de migrar para um processo de entrevista exclusivamente remoto, você pense em como irá avaliar com sucesso se um candidato seria uma boa opção para sua empresa e equipe, sem ter a chance de ler completamente sua linguagem corporal e tom.

Escrevendo para o Forbes Technology Council, Mohit Bhende, cofundador da Karat (uma empresa que realiza entrevistas técnicas remotas para empresas que contratam engenheiros de software), diz “entrevistas virtuais e remotas são uma forma de as empresas continuarem contratando, mas se não forem implementadas com cuidado, o resultado pode ser experiências de candidato negativas que degradam a marca de um empregador, produzem um sinal ruim e consomem muito tempo do desenvolvedor. ”

Em seu artigo, ele também compartilha algumas dicas para a contratação de trabalhadores de tecnologia por meio de entrevistas remotas, como medir o desempenho do candidato de forma consistente e treinar seus entrevistadores.

Lembre-se também de que o processo de entrevista será diferente para os funcionários em potencial; eles precisarão avaliar se desejam trabalhar na sua empresa, sem nunca entrar no escritório ou se encontrar com a equipe pessoalmente.

Então, pergunte-se: você precisa mudar alguma coisa em seus processos de entrevista? Por exemplo, pense em como você conduzirá avaliações técnicas ou entrevistas - elas podem ser feitas da mesma maneira?

5. Recebendo seus novos funcionários de tecnologia remotamente

Outra consideração importante é o impacto na integração. Uma análise recente da TINYpulse descobriu que funcionários integrados remotamente durante a pandemia podem ter dificuldades para absorver a cultura e valores corporativos da empresa. O isolamento é culpado, já que os integrantes do Covid-19 não se sentem tão conectados com seus companheiros de equipe.

Mas, há muitas maneiras de superar esse isolamento e fornecer um processo de integração envolvente para novos funcionários de tecnologia. O serviço de investimento da Fintech Moneybox, por exemplo, supostamente enviou vouchers à equipe para encorajar almoços de equipe online.

Outros gigantes da tecnologia também acertaram seus processos de integração remota.

A Netflix permite que novos funcionários escolham seu notebook de trabalho, por exemplo, e oferece treinamento online completo e reuniões com seus chefes. O Twitter envia aos iniciantes uma camiseta, uma garrafa de vinho e informações úteis dizendo o que esperar quando começarem. E a Buffer surgiu com um esquema exclusivo de camaradagem para a nova equipe, adotando uma abordagem mais focada nas pessoas, em comparação com outras empresas de tecnologia.

Todos esses são exemplos interessantes que vale a pena considerar para o seu próprio negócio.

6. Mantendo e nutrindo a cultura de sua empresa

Uma forte cultura corporativa é essencial para que o trabalho remoto continue nos próximos anos, e isso terá um grande impacto em sua propensão para atrair e reter os melhores talentos em tecnologia. Embora, talvez surpreendentemente, uma pesquisa conduzida pela HR Locker indique que 37% das empresas relatam uma melhoria na cultura organizacional desde que trabalham em casa devido à pandemia.

Outros estudos apontam que um tema importante que se destaca para as empresas que mantiveram ou aprimoraram sua cultura durante a pandemia foi a qualidade e a transparência da comunicação das lideranças.

O Google usa três princípios orientadores para manter a equipe remota conectada: concentre-se primeiro nas pessoas, crie uma comunicação regular e desenvolva a cultura da equipe. Isso envolve promover uma combinação de atenção plena e exercícios, além de mudar as reuniões regulares da equipe online usando o Hangouts.

Há muitas maneiras de as empresas manterem e até mesmo desenvolverem sua cultura corporativa, mesmo para equipes remotas.

A chefe de Igualdade, Diversidade e Inclusão da Hays Reino Unido, Yvonne Smyth, recomenda reiterar seus valores para unir sua força de trabalho, tornando toda a comunicação inclusiva e encontrando maneiras de manter bate-papos no local de trabalho e eventos sociais.

O trabalho flexível veio para ficar, então suas estratégias de recrutamento devem mudar.

O sucesso do seu negócio depende de sua capacidade de contratar e integrar o talento de tecnologia certo da maneira certa. Mesmo quando o mundo se abre e algumas organizações voltam ao escritório, é provável que muitas adotem sistemas de trabalho híbridos. Isso significa que seus esforços de contratação, integração e retenção precisam ser transformados para se adequar a essa experiência parte-remota / parte-escritório.

Com a política de trabalho flexível certa, você pode agilizar seus processos de contratação e integração, ajudando a reter os melhores talentos em tecnologia e preparando sua organização para a nova era de trabalho.

00

blog categoria

most popular blog

Blogs mais lidos

#1 Como responder a pergunta [Fale um pouco sobre você]
 
Entrevista | 6 min
 

#2 11 sinais que sua entrevista foi um sucesso
 
Entrevista | 9 min
 

#3 Como demonstrar interesse pela vaga em 6 passos
 
Entrevista | 7 min
 

Bsucar vagas

Em busca de uma nova oportunidade? Encontre aqui o seu emprego ou entre em contato com um de nossos consultores.